Conversamos exclusivamente com o DJ FTAMPA. Confira!

​Hoje, FTampa é um dos djs mais populares do Brasil, o mineiro começou a ter destaque no cenário nacional quando o holandês Hardwell começou a tocar a faixaKick It Hard” e logo entrou no repertório de djs como: Afrojack, Calvin Harris, David Guetta e Tiësto.

Não demorou muito para que convites em festivais nacionais e internacionais começassem a surgir, levando a tocar em festivais de grande importância como: Burning Man, Life In Color Ibiza, Lollapalooza, em São Paulo, Rock In Rio Las vegas entre outros.

Tivemos uma entrevista exclusiva com o DJ FTampa, conversamos sobre sua carreira, festivais eletrônicos como: Tomorrowland e Ultra Music Festival, e muito mais! Confira:

 

1. Você é músico desde garoto e o seu primeiro contato foi com o rock, creio que por motivos pessoais mudou para Belo Horizonte e com a cena musical desfavorável começou a trabalhar com o marketing. Esse foi o único motivo para largar o rock e trabalhar com o marketing? Fui para Belo Horizonte para me dedicar à carreira musical e para me sustentar, comecei a fazer bicos, incluindo programações de sites e também produção de trilhas. Consegui emprego na área de marketing e continuava com a minha banda de rock, gravamos um CD e resolvi pedir demissão para investir tudo na banda. Infelizmente, não deu certo, a decepção foi grande e decidi não mexer mais com música.

 

2. Logo após foi apresentado a música eletrônica, o que fez com que você largasse o marketing e apostar na música eletrônica? Então… Um dia eu estava jantando com o meu chefe em um restaurante que tinha música ao vivo e ele fez um comentário infeliz: “Tá vendo Felipe, era isso que você queria para a sua vida? Você estaria ali tocando para ganhar um trocado, ao invés de estar aqui jantando e aproveitando a vida”. Aquilo mexeu comigo e no dia seguinte, eu decidi que queria largar tudo e voltar pra música porque vi que realmente era o que eu queria para a minha vida. Apostei novamente, deu certo e não parei mais. (Risos)

 

3. Em algum momento já pensou em desistir da carreira de DJ? No ano passado, quando tive depressão, passou muita coisa pela minha cabeça, mas com a ajuda da namorada, amigos e com tratamento, continuei seguindo em frente.

 

4. Você foi escalado por dois anos consecutivos a tocar no palco principal da edição brasileira da Tomorrowland, como foi tocar no festival para mais de 160mil pessoas? Tocar no Tomorrowland é sempre algo incrível, não é? É um festival muito importante onde muitos artistas que eu admiro, tocam, então é muito bom estar naquele ambiente vendo uma multidão curtindo a musica. Eu sou muito grato por ter tido essa oportunidade.

 

5. Você passava a se imaginar tocando no palco principal da Bélgica? Sempre sonhei em estar ali em cima daquele palco, batalhei muito para isso acontecer e ter sido o primeiro brasileiro, a responsabilidade só aumentou e foi uma conquista gigantesca. Uma das maiores da minha vida profissional, com certeza.

 

6. Como foi receber a notícia que você foi escalado para tocar no palco principal da edição belgana, sabendo que você seria o primeiro brasileiro a pisar no palco? Não acreditei no primeiro momento, mas quando a ficha caiu, a alegria foi imensa e a certeza de que ia realizar um grande sonho e abrir porta para o mercado brasileiro lá fora.

 

7. Quando você se deu conta que estava tendo o seu trabalho reconhecido no mundo? Semana passada, quando o Felguk postou um vídeo dele num supermercado, na China, e estava tocando “Love is All We Need” (Risos) Brincadeira, mas, às vezes, eu me surpreendo com o tanto que o meu som roda o mundo. Hoje, é muito fácil ter a sua música publicada globalmente por causa da internet, mas pra mim, o que mais me impacta é quando vou tocar fora e vejo o carinho dos fãs e a interação durante o show. Me emociono sempre.

 

8. Hardwell foi uma pessoa importante para a sua carreira? Com certeza! Ele foi o primeiro e está entre as pessoas que mais me ajudaram ao longo da minha carreira. Colhi muitos frutos lançando pela editora e gravadora dele, a Reaveled, o que me ajudou demais, mas agora o foco é no meu trabalho autoral, sou artista Sony Music e agradeço a todos que estão curtindo os meus últimos lançamentos.

9. Ano passado você tocou no mainstage do Ultra Brasil, seria um sonho tocar em Miami ou realizou tocando no seu país? Para ser sincero, eu não tenho muito claro na minha cabeça, esses sonhos dos festivais. Amo tocar neles e estar no de Miami seria fantástico! Sem dúvida alguma, mas o meu sonho está mais ligado à produção das músicas e a capacidade de espalhar o meu som por ai. Eu foco a minha energia quase toda em produzir as minhas tracks e os meus vídeos, e espero que os shows venham como consequência disso. Tomara que dê certo! (Risos)

 

10. Ainda veremos seu nome nesta edição do Ultra Brasil? Bem… isso eu não sei, mas acredito que não, pois até agora, não estou sabendo de nada. (Risos)

 

11. Seus fãs de Salvador querem saber quando irá retornar? Ainda não tenho nada marcado, mas é só me chamar que eu vou. (Risos). Adoro tocar nessa cidade onde sempre fui recebido com muito carinho por todos que curtem o meu trabalho.

 

12. O que a música eletrônica representa na sua vida? Ela é o que me permite ser e quem eu gosto de ser. É o que me dá energia e felicidade todo santo dia quando acordo e penso “o que vou fazer hoje?” Amo o meu trabalho!

 

13. O que os seus fãs representa para você e o que eles ainda podem esperar de você? Os fãs são a essência de tudo o que eu faço. Penso neles em tudo que eu faço, pois eu sei que se tenho o que eu tenho foi graças a eles. Você não imagina quantas horas do meu dia eu passo pensando em o que eu posso fazer para que os meus fãs se sintam felizes quando eu lanço algo ou se emocionem em um show. Eles são a razão de tudo isso existir. Se não fosse por eles, as minhas músicas estariam na gaveta.

 

 

Assista ao clipe “Light Me Up” de FTampa

 

Mais um desafio superado!” Foi assim que o DJ FTampa definiu o clipe de “Light Me Up” que foi ao ar quinta-feira (13) em mais uma parceria com a Sony Music e a Ultra Music, em direção de Bruno Paraguay.
Adoro ser desafiado e foi isso o que aconteceu nesse clipe. Dessa vez, resolvi trabalhar com toda a equipe do meu escritório, desde o roteiro até a edição final e o resultado está aí. Ficou maravilhoso e estou ansioso para ver a repercussão” diz o DJ.

A história foi idealizada pelo próprio artista, baseando- se em alguns filmes. No vídeo gravado em Belo Horizonte, o ator principal e vivido pelo FTampa.

Nenhum Comentário.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

%d blogueiros gostam disto: